Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

scriptorium

"Tal como surgiu diante dos meus olhos, a esta hora meridiana, fez-me a impressão de uma alegre oficina da sabedoria." (Umberto Eco, O Nome da Rosa)



Quinta-feira, 06.08.15

HISTÓRIA NA LIVRARIA

images.jpg

 

— Por falar em histórias, vou-lhe contar uma. Esta tem graça. Ó Mendes, você calcula até onde já chegou a alarvidade das nossas ainda chamadas livrarias?

— Mais ou menos.

— Vai ver que não. Um dia destes, fui dar com o seu livro, o Língua e literatura, irmãs desavindas? na secção das novelas light.

— Anh?

— Pois é, anh. E mais. Prepare-se: quando eu pego no livro e interpelo o empregado, ele sai-se de lá com esta: — Mas atão esse não é o livro do Mendes, o gajo do concurso?

— Ó Salles, por amor de deus, deixe-se lá de chinês e explique-se.

— O empregado da loja pensou, muito bem pensado, que um livro com o título de irmãs desavindas (para ele, as palavras anteriores eram só explicação) era assim tipo Família Destroçada e que Mendes só havia um, o do concurso e mais nenhum, e toca de pôr o seu denso tratado de linguística entre O homem que me batia e A vitória do amor.

— Porra, Salles, isso também já é demais. Caraças. Então o gajo não viu lá escarrapachado língua e literatura?

— Viu, viu. Mas sabe o que é que ele me disse quando lhe falei nisso? Atão, tudo o que se escreve, não é tudo língua e literatura?! Assim, toma lá. E, depois de eu lhe explicar tudo bem explicadinho, quando me afastei, ainda o ouvi dizer e qual era o mal? Se calhar assim, até vendia mais... Tome lá!

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Maria Almira Soares às 21:43



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Agosto 2015

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031