Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

scriptorium

"Tal como surgiu diante dos meus olhos, a esta hora meridiana, fez-me a impressão de uma alegre oficina da sabedoria." (Umberto Eco, O Nome da Rosa)



Terça-feira, 04.08.15

LEITURA & INFÂNCIA

untitled+3.bmp

 O tempo da educação de Antónia foi o da descoberta da leitura social e terapêutica, a leitura como mezinha para todos os males do crescimento mental e sensitivo: preventiva, curativa e placebo. A mãe, pessoa que cumpria a aparência dos protocolos culturais, tinha até ouvido, numa das sessões que frequentara, que o pai deveria estar a ler enquanto a criança nascia. E mesmo para a barriga da mãe antes do nascimento. E comprou até livros de plástico para os banhos do bebé. E de pano, para o bebé meter na boca. Mais tarde, quando foi hora disso, Antónia teve muitos, muitos, livros a sério. Tomou o seu livro como os meninos antigos tinham tomado o seu óleo de fígado de bacalhau e o seu cálcio granulado. Cordatamente. Em criança, enquanto lia, com mais ou menos consciência ia engolindo vocabulário, frases, cenas, desenlaces, figuras e, nos casos em que verdadeiramente a coisa acontecia, emoções, revelações, segredos…

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Maria Almira Soares às 13:26



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Agosto 2015

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031