Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

scriptorium

"Tal como surgiu diante dos meus olhos, a esta hora meridiana, fez-me a impressão de uma alegre oficina da sabedoria." (Umberto Eco, O Nome da Rosa)



Sexta-feira, 01.05.20

JÁ SEI! o B

Untitled.png

No dia seguinte, mais ou menos à mesma hora, o Já Sei, que era pontual, apareceu no mesmo sítio do jardim, onde o Luís e a Susana se costumavam sentar depois de ficarem cansados com tanta brincadeira. Vinha a dançar e a cantar:

B   B  B B   B B   B B   B!

— Olá! Vens todo contente. Que é isso que vens a cantar?

— Olá! É a cantiga do B.

— Qual ? Não conheço nenhum .

— O B é a segunda letra. Vem logo a seguir ao A.

— Ah! As letras também servem para cantar! Julguei que era só para brincar… — Disse a Susana.

— As letras servem para escrever. Depois de escritas, podemos lê-las, dizê-las, cantá-las…

— Já vi o meu pai a escrever.

— E eu já vi a minha mãe a ler.

— Mas nós ainda não sabemos.

— Pois não. Ainda sois pequeninos. Mas, agora, já sabeis como é o A.

— E o como é? — Perguntou o Luís.

— Assim: B

O Já Sei soprou com força e um grande B ficou desenhado na areia.

— É muito diferente do A. Tem duas barrigas!

— E hoje a que é que vamos brincar? — Perguntou o Luís.

— Ao B. Olhem muito bem para este B que aqui está. Eu vou contar até 10. Quando chegar ao 10, este B desaparece daqui e vai esconder-se nos arbustos do jardim. E vocês vão procurá-lo. Se souberem muito bem como ele é, pode ser que o encontrem.... Mas, se não se conseguirem lembrar de como ele é, mesmo que esteja à vossa frente, não o conseguirão ver. Preparados? Vou começar: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10. Pst!

— Desapareceu! — Disseram os dois.

— Agora, podem começar a procurar. Eu fico aqui à espera.

E estendeu-se na areia todo repimpado. Parecia uma lagarta gorducha.

   O Luís e a Susana lá andavam por um lado e por outro, afastando os ramos dos arbustos, espreitando para trás dos vasos de flores, à procura do B, mas, por enquanto, nada! Ou estava muito bem escondido ou eles tinham-se esquecido de como ele era e, por isso, não o conseguiam ver. Era bem divertido este jogo do B, parecido com a caça ao tesouro ou com o jogo das escondidas. De repente, ouviu-se um gritinho. Era a Susana:

— Está aqui!

E lá vinha ela com um grande B na mão, a cantar toda contente: bê-bê-bê-bê!

— Onde é que o encontraste? — Perguntou o Luís.

— Estava atrás da roseira. Ia-me picando toda. Mas vi-o logo. Lembrava-me tão bem das suas duas barriguinhas!

— Eu também me lembrava. Mas tu chegaste lá primeiro.

— Tive sorte.

— Muito bem, muito bem. — Disse o Já Sei. — Este jogo das letras está a correr muito bem.

— Pois está. Já sabemos o A e o B.

— Agora, são horas de me ir embora. Até amanhã! — Disse o Já Sei e lá foi, pulando, até ao fundo do jardim.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Maria Almira Soares às 10:54


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Maio 2020

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31